Empréstimo com imóvel financiado de garantia: como funciona?

O empréstimo com imóvel de garantia, sendo ele financiado ou não, é uma modalidade cada vez mais popular no Brasil, apesar de já ser muito popular nos Estados Unidos e em muitos países da Europa. O motivo da fama são as quantias elevadas para empréstimo, prazos longos para pagamento e juros baixos

Quando você faz um empréstimo, e coloca a sua casa como garantia para o banco, você irá perceber que os juros são muito menores do que aqueles aplicados no cheque especial, ou até mesmo em um empréstimo tradicional. Além disso, ele pode ser feito para sanar grandes dívidas ou realizar grandes sonhos. 

Muitas pessoas têm uma dúvida em especial: existe diferença entre o empréstimo com imóvel como garantia e empréstimo com imóvel financiado como garantia? A resposta é simples: não. Atualmente, no Brasil, os termos para os dois casos são exatamente os mesmos. 

Como funciona o empréstimo com imóvel financiado como garantia?

O empréstimo com garantia de imóvel financiado usa a propriedade do cliente para garantir o pagamento das parcelas. Essa é uma forma do cliente mostrar para a instituição financeira que ele não apresenta riscos de inadimplência e que  consegue pegar dinheiro emprestado com baixas taxas de juros.

Esse tipo de linha de crédito só pede que o imóvel esteja registrado no nome de quem solicita e assina o contrato do empréstimo.  Além disso, o imóvel pode ser tanto residencial, como comercial

Essa operação fica registrada em cartório, sendo que o imóvel financiado continua no nome do cliente, e ele pode continuar usufruindo do imóvel normalmente, residindo ou alugando comercialmente. Não há necessidade de desocupar, mas o bem fica alienado à instituição financeira até o fim do contrato.

Principais benefícios do empréstimo com imóvel financiado de garantia

Para solicitar esse tipo de empréstimo, o cliente tem que olhar para a própria realidade e ver se essa operação cabe na sua realidade e circunstâncias. Dito isso, as principais vantagens desse negócio são:

  • Juros Baixos: a partir de 1.15% ao mês
  • Prazos longos: de 60 a 180 meses
  • Conseguir valores altos: até 60% do imóvel
  • Pode usufruir do imóvel.

Passo a passo da operação

O empréstimo com imóvel financiado como garantia nem sempre é muito rápido, e desde o pedido até o dinheiro cair na conta, pode levar um tempo para que todas as etapas sejam realizadas com sucesso. 

Além disso, vale destacar que além de fazer a avaliação de crédito, a instituição precisa fazer a vistoria do imóvel. Isso pode demandar muito mais tempo do que um empréstimo tradicional. 

Apesar disso, a espera pode valer muito a pena, pois as taxas de juros são consideravelmente mais baixas que outras modalidades de empréstimo. Em resumo, é possível ter acesso às melhores condições de pagamento.

Dito isso, os processos dessa operação são:

Solicitação: Atualmente, é possível fazer uma simulação do empréstimo no site da instituição. Você também pode fazer a solicitação pela internet, preenchendo alguns dados, ou pelo telefone, de acordo com cada empresa;

Análise de crédito: nessa etapa ocorre análise da situação financeira do cliente, para ver se tem condições de arcar com as parcelas, como também a avaliação da quantia requerida. Se não estiverem adequados aos critérios da empresa, o pedido é negado;

Análise jurídica e avaliação do imóvel: os documentos de quem solicita passam por uma verificação e triagem. Paralelamente o bem é avaliado para então se tornar garantia do pagamento;

Assinatura do contrato: depois de tudo aprovado, é liberado o documento de formalização do empréstimo para assinatura, chamado de CCB (Cédula de Crédito Bancário). O bem deve ser cadastrado no Cartório de Registro de Imóveis. O contrato deve ser entregue ao banco;

Enfim, depois da realização desses estágios, o crédito é liberado na sua conta.

Apesar disso, antes de solicitar a linha de crédito, é preciso ter a documentação atualizada e conhecer o que é exigido para não perder tempo. 

Documentos necessários

Você também precisa ficar ciente de todos os documentos necessários para fazer essa operação. Os documentos pessoais são:

  • RG e CPF ou CNH (do casal);
  • Se solteiro, Certidão de Nascimento;
  • Se casado, Certidão de Casamento;
  • Nos casos que o regime de casamento for através de Comunhão Universal ou Total de Bens, deverá apresentar – Certidão de Registro do Pacto Antenupcial (devidamente averbada no cartório de imóveis);
  • Se separado/divorciado ou viúvo, Certidão de Casamento com a averbação da atual situação;
  • Comprovante de Residência atualizado (mês vigente/água, luz ou telefone fixo).

Além disso, é necessário comprovar a renda. É preciso apresentar alguns holerites recentes. De acordo com o perfil do cliente a empresa pode pedir mais ou menos extratos bancários. É necessário, ainda, apresentar documentos do imóvel:

  • Matrícula do imóvel, caso possua vaga autônoma apresentar matrícula;
  • Capa de IPTU, constando a metragem do imóvel;
  • Declaração Negativa de Débitos de Condomínio.

Leave a Reply